O dia 13 de Julho passou a ser considerado o Dia Mundial do Rock depois de um evento que aconteceu no dia 13 de Julho de 1985: o Live Aid. No evento, não só musical, artistas como Status Quo, U2, Simple Minds, Queen, Phil Collins, Madonna, Dire Straits, dentre vários outros, fizeram suas apresentações, tocando rock das mais variadas vertentes, por todo o globo terrestre, dos Estados Unidos à Europa, de Moscou ao Japão, de Londres à Filadélfia. Foi um evento político, social e de entretenimento que marcou muito – e não somente aquele ano! – justificando, então, o motivo pelo qual o dia 13/7 passou a ser considerado o Dia Mundial do Rock.

Dito isso e tendo em mente que o rock possui quase infinitas vertentes (que vai do folk ao blues, do rock and roll clássico ao indie rock, do pop ao glam rock…), convidamos vocês a dar um passeio por 10 aberturas de séries que possuem bandas de rock executando alguma de suas faixas nela. Escrevemos sobre a série, a banda (ou cantor/intérprete) e sobre a utilização de tais intérprete e música nas aberturas. Vamos lá?

Freaks and Geeks


Sobre a artista e a banda: Quem interpreta a música “Bad Reputation” é Joan Jett. Para quem não sabe, Joan foi uma das mentes por detrás da banda The Runaways – formada em 1976 e recentemente retratada em filme, estrelado por Kristen Stewart e Dakota Fanning -, é também atriz, produtora e guitarrista. Jett foi e é uma das vozes mais marcantes do rock feminino.

A conexão com a série (por Cristal): Freaks and Geeks é uma série protagonizada por uma mulher, Linda Cardellini, então nada mais justo que uma música-tema cantada por uma rockeira. Música e série versam sobre pessoas que não ligam pra sua reputação, sobre uma nova geração em que uma garota pode fazer o que quiser, sem se importar com o que os outros pensam. Tanto que, em Portugal, o nome dado a série foi A Nova Geração. E, de certa forma, era mesmo inédita a geração dos anos 80, a primeira em que as mulheres foram criadas para o mundo, e não para seus maridos.

Damages

Sobre a música e a banda: A música que nos convida a assistir Damages se chama “When I Am Through With You” e a história por trás da utilização dela na abertura da série é interessante. A banda de rock alternativo The V.L.A. é formada por Jason Rabe (voz e guitarra), Ravi Subramanian (baixo) e Fern (bateria) e, até hoje, lutam para concluir as mixagens do primeiro EP do grupo, chamado “Unhand Me, ICON!”. Porém, há quatro anos, quando a banda começou a gravar seu próprio som (letras e melodias), a Sony Music comprou os direitos daquele que seria o primeiro single deles, “When I Am Through With You”. E foi um sucesso – tanto a música quanto a série. A crítica aguarda ansiosa pelo lançamento do primeiro disco desses rapazes de Hollywood, Califórnia.

A conexão com a série: Damages é um seriado que conta uma história densa. Seus personagens são, quase sem exceção, muito pesados, marcantes, fortes. A música na abertura já deixa claro que o que você está prestes a assistir é algo mais sério, mais trabalhado. E até me permito dizer que a série é uma das produções mais poéticas que a televisão norte-americana nos apresentou nos últimos cinco anos. O seriado consegue unir atuações brilhantes de um elenco impecável (encabeçado pela incrível – e veterana – Glenn Close), com doses certas de ação, suspense, drama, drama jurídico e – acreditem! – humor!

Big Love

Sobre a música e a banda: Além de muito bem dirigida, a abertura de Big Love tem uma música dos Beach Boys. A canção em questão é “God Only Knows”, oitava música do clássico álbum “Pet Sounds”. Os Beach Boys são uma conhecidíssima banda de rock dos anos 60 formada em Hawthorne, na Califórnia e considerada uma das bandas mais icônicas da história do rock e também do pop. Várias de suas músicas já foram usadas em trilhas sonoras tanto de filmes quanto de séries. “Wouldn’t It Be Nice” é um exemplo disso e foi a música-tema dos personagens de Drew Barrymore e Adam Sandler em “50 First Dates” (2004).

A conexão com a série: A série Big Love conta a história de Bill Henrickson, um “chefe” de família mórmon e poligâmico, casado com Barb, Nicki e Margene e pai de Sarah, Ben, Tancy, Wayne, Raymond, Lester, Aaron e Nell. A música da abertura casa-se perfeitamente com a temática do seriado, pois sua letra ressalta, no verso a seguir, uma das maiores verdades da relação de Bill com as esposas: “posso não te amar a todo tempo, mas não duvide que te amo”. O título da música ainda faz alusão a um cunho religioso, o que, claro, também nos liga à série.

The Big Bang Theory

Sobre a música e a banda: A banda canadense de rock independente Barenaked Ladies foi formada em 1988, em Ontário, no subúrbio de Toronto, num lugar chamado Scarborough. Inicialmente, o grupo era composto por Ed Robertson e Steven Page. Depois de idas e vindas de integrantes, a formação atual fica por conta de Jim Creeggan, Kevin Hearn, Ed Robertson e Tyler Stewart. A música utilizada na abertura de The Big Bang Theory é “The Big Bang Theory Theme”, gravada especialmente para a produção. A música completa você confere aqui.

A conexão com a série: A BNL (assim a banda é conhecida entre os fãs) é… digamos, bem peculiar, assim como The Big Bang Theory e nossos nerds preferidos. Os caras, no palco, fazem performances que deixariam qualquer excentricidade de Leonard, Sheldon, Raj e Howard no chinelo. O astral da banda – assim como o da série e dos personagens dela – é super tranquilo e os integrantes sempre buscam associar elementos cômicos aos seus shows.

Weeds

Sobre a música e seus intérpretes: Weeds também tem uma música bem peculiar e conhecida. Não é exatamente o velho e clássico rock and roll, mas é uma das vertentes do rock: o folk. A música é “Little Boxes”, interpretada, durante toda a primeira temporada, o último episódio da segunda e o último da terceira, por Malvina Reynolds. Mas, a mágica acontece aqui. Durante toda a segunda e terceira temporadas da série, mais de trinta intérpretes passaram pela abertura do seriado, cantando a mesma canção, “Little Boxes”. A música, aliás, foi um grande hino da sociedade norte-americana, na década de 50, contra a padronização que o subúrbio oferecia aos lares. Dentre os artistas que passaram pela abertura da série estão Death Cab For Cutie, Elvis Costello, The Shins, The Decemberists e Regina Spektor.

A conexão com a série: Weeds conta a história de uma família que vive no subúrbio dos Estados Unidos, mais especificamente em Agrestic, um condado fictício criado por Jenji Kohan, autora do seriado. Mary-Louise Parker vive uma dona-de-casa viúva aos 30 e poucos anos, com dois filhos para criar. Então, exatamente ao contrário à letra da música, ela sai do ‘ordinário’, do comum, do padrão, e começa a sustentar a família através do tráfico de weeds.

A lista completa dos intérpretes: Malvina Reynolds, Elvis Costello, Death Cab for Cutie, Engelbert Humperdinck, Kate & Anna McGarrigle (versão cantada em francês), Maestro Charles Barnett, Aidan Hawken, Ozomatli, The Submarines, Tim DeLaughter of Polyphonic Spree, Regina Spektor, Jenny Lewis and Johnathan Rice, Randy Newman, Angelique Kidjo, Kinky (versão cantada em espanhol), Donovan, Billy Bob Thornton, The Shins, The Individuals, Man Man, Joan Baez, The Decemberists, Michael Franti, Persephone’s Bees (versão parcialmente cantada em russo), Laurie Berkner, Linkin Park, Pete Seeger.

Anos Incríveis  (The Wonder Years)

Sobre a música e a banda: Joe Cocker é um artista inglês nascido em 1944, em Sheffield, Inglaterra. Além das próprias canções, recebidas pela crítica com o rótulo de rock clássico e blues, Joe regravou várias músicas dos Beatles, como “With A Little Help From My Friends”, que é utilizada na abertura de Anos Incríveis.

A conexão com a série (por Cristal): Apesar de gravada no final dos anos 80, Anos Incríveis é uma série que se passa nas décadas de 60 e 70, então nada mais natural que uma abertura ao som de uma música dos Beatles, numa versão gravada ao vivo em Woodstock. A série é um clássico sobre infância, adolescência, amores e amigos. Então nada mais justo que uma música que fale de amor a primeira vista e de tudo que podemos fazer com uma ajudinha dos nossos amigos.

Curiosidade: Na última temporada, a abertura da série foi modificada, passamos a ver imagens que representavam a década ao som da segunda parte da mesma música. O vídeo dessa 2ª abertura você pode assistir aqui. Não tinha mesmo como mudar, não?

Parenthood

Sobre a música e a banda: A música que ouvimos na abertura de Parenthood é intitulada “Forever Young” e executada por Bob Dylan, cantor e compositor norte-americano, grande mestre do folk rock. Bob é um dos maiores nomes ligados ao rock que o mundo já conheceu e foi considerado o 2º artista mais influente de todos os tempos pela revista Rolling Stone (Dylan ficou atrás somente dos Beatles). Recentemente, a vida deDylan foi retratada no filme “I’m Not There” (2007, com Cate Blanchett, Heath Ledger, Christian Bale, dentre outros).

A conexão com a série: A letra da música fala muito sobre ajudar ao próximo, sobre um sentimento de harmonia gritante e que, por mais atribulada que seja a maior parte das relações dos Braverman, retrata bem a família de Parenthood.

Curiosidade: Um dos momentos mais marcantes de Anos Incríveis acontece, também, ao som de “Forever Young”, mas interpretada por Joan Baez. Para ver essa cena, em que Wayner é consolado pelo pai após ser recusado no exército, clique aqui.

A abertura de Parenthood, infelizmente, não está disponível para incorporação, mas você pode vê-la aqui. O vídeo abaixo é uma edição que o artista americano Will.I.Am fez com a mesma música da abertura da série.

The O.C.

Sobre a música e a banda: O nome da música que toca na abertura da série de Ryan, Seth e cia. é “California”,  da banda de rock alternativo norte-americana Phantom Planet. A banda atingiu o sucesso depois que a música foi escolhida para ser o tema de abertura de The O.C., mas, não parou por aí. Já regravaram uma música do músico Jackson Browne para o filme “Not Another Teen Movie” (2001), além de terem ido parar na trilha sonora do jogo Driver 3 com a música “Big Brat”.

A conexão com a série: Seth Cohen é um dos personagens mais aficcionados por indie rock da história da TV. E isso talvez se deva ao fato de que o ator que o interpreta, Adam Brody, também o é. O útil unido ao agradável deu aos fãs da série um leque gigantesco de bandas, músicas e até mesmo apresentações de bandas de rock durante episódios do seriado (um exemplo foi a apresentação da banda The Killers no quarto episódio da segunda temporada da série), principalmente na época em que Seth trabalhara numa boate. O astral do Phantom Planet quando está cantando “California” remete muito à primeira temporada de O.C.

CSI

Sobre a música e a banda: Quem executa a faixa de CSI (e de toda a sua franquia – CSI: Miami e CSI: NY) é a grande banda de rock inglesa The Who. Os caras são uma das maiores bandas de rock que o mundo já viu e possuem tantos hits de sucesso que já figuram lugar entre os clássicos da atualidade. São donos de músicas como “My Generation”, “I Can’t Explain” e “Who Are You”, que é a música utilizada na abertura da série.  Esta última, inclusive, é considerada uma das melhores música da história do rock. A banda é ainda conhecida como uma das bandas de rock com a performance ao vivo mais energética que já existira nos palcos!

A conexão com a série (por Camila): Não poderia ter uma música mais adequada que “Who are You” para a abertura de CSI.  Se os produtores tivessem encomendado uma música para a série, não seria tão interessante quanto essa. CSI é uma série que busca desvendar crimes, alguns muito complexos e com poucas pistas, mas a ciência não falha e a evidência nunca mente. Em todos os episódios a pergunta básica dos peritos CSIs é: quem é o assassino? Eles recompõem a cena do crime, os passos da vítima e do suspeito, assim como na música, aos poucos conseguem montar um quebra-cabeça com as evidências e os fatos, respondendo à pergunta: Quem é você?

Entourage

A música e a banda: A banda de rock alternativo Jane’s Addiction tem uma história complicada. Formada em 1986, os membros decidiram acabar com a banda em 1991. Logo em seguida, em 1997, voltaram, mas não com a formação original da banda. Entraram em um novo hiatus, até 2001. E, voltando outra vez neste mesmo ano, ainda separaram-se em 2004 (que foi quando toda a formação original se reunira pela primeira vez desde a separação de 1991) e em 2008. Os caras estão de volta à estrada desde abril de 2008 e desde sempre foram muito comparados com o icônico Led Zeppelin dos anos 70. A música que interpretam na abertura de Entourage é “Superhero”.

A conexão com a série (por Camila): Vince, um jovem com sonhos grandiosos, se muda para Los Angeles para se tornar um super astro de Hollywood; New York não era suficientemente grande para os seus sonhos. Vince parte com seus amigos em busca desse sonho e faz de tudo para conseguir. A música “Superhero”, da banda Jane’s Addiction, fala exatamente dessa desejo de ser um super herói para alguém, e de tudo que pode ser feito para tal. O rítmo da música é bem frenético, assim como o ritmo que a série nos apresenta em seus capítulos de pouco mais de 20 minutos.

E é claro que não nos esquecemos dos The Rembrandts cantando a clássica abertura de Friends com “I’ll Be There For You”, nem dos Beach Boys cantando “When I Grow Up (To Be a Man)” em Men of a Certain Age, muito menos de CAKE com sua letra engraçadíssima para “Short Skirt, Long Jacket”, na abertura de Chuck. Não nos esquecemos, também, do indie rock do The Dandy Warhol, com “We used to be Friends”, em Veronica Mars, nem de Gavin DeGraw, com “I Don’t Want to Be”, em One Tree Hill. Não nos esquecemos de Jace Everett com “Bad Things”, em True Blood. E pra você, qual a abertura mais rock’n roll?

Colaboraram neste post Cristal e Camila (imagens).

Deixe seu comentário

16 comentários, seja o próximo.

  1. @disfordaniel disse:

    Só falto Bad Things (True Blood)

    Mas com essas musicas no playlist já da pra passar um ótimo dia do rock =)

    13 de julho de 2010 às 13:27
    • Lucas Soares disse:

      É verdade. True Blood ia entrar na seleção inicial, mas a gente priorizou outras séries. Entretanto, Bad Things, do Jack Everestt já está entrando ali no finalzinho do post. Não coloquei porque esqueci totalmente!

      Valeu =)

      13 de julho de 2010 às 15:09
  2. Blulrich disse:

    Ótimo post. Quando se trata de aberturas, a música que eu mais gosto é certamente I’ll Be There For You. Sou viciado nessa música. Agora, Bad Thing, de True Blood também é muito boa. E acho uma pena terem tirado os vocais da música do CAKE na abertura de Chuck.

    13 de julho de 2010 às 15:06
    • Lucas Soares disse:

      É verdade, @Blulrich, uma pena os vocais maravilhosos do CAKE ficarem de fora da abertura de Chuck. Mas, o seriado já utilizou várias das músicas da banda em sua trilha sonora, o que ameniza esse “grave” detalhe.

      Bad Things, do Jace Everett, já está no post também. A música, banda e série entrariam no post, mas acabou ficando de fora!

      Obrigado!

      13 de julho de 2010 às 15:11
  3. D. disse:

    Assim como sou apaixonado por series, sou apaixonado por rock…

    muito bom o post!!!!

    13 de julho de 2010 às 15:42
  4. Alexandre disse:

    Post muito bom para esse dia maravilhoso, hehe. =) E minha abertura preferida, indo nesse estilo, é a de Veronica Mars. Até hoje eu ainda me pego cantarolando We used to be friends e lembrando da série. Parabéns.

    13 de julho de 2010 às 17:44
  5. É muito, muito, muito raro eu gostar mais de covers do que versões originais, mas With A Little Help From My Friends supera a dos Beatles pra mim em todos os sentidos. É praticamente uma música diferente. E a versão ao vivo em Woodstock dessa foto do Joe Cocker na montagem é perfeitaça.

    E ó o Jason Schwartzman ali na escada com o Phantom Planet ahauhua Depois que eu descobri isso, corri atrás da banda solo dele e gostei ainda mais (Coconut Records).

    13 de julho de 2010 às 18:18
    • Lucas Soares disse:

      Verdade, as versões originais são quase sempre melhores. Não concordo contigo que a versão do Joe bata a versão original do quarteto de Liverpool, mas gosto dela tbm.

      Eu tbm não do Jason, fiquei sabendo lendo seu twitter. Pode deixar, anotada a dica aqui. Quando eu ouvir o som dele, te digo o que achei!

      Valeu, @Guilherme.

      13 de julho de 2010 às 23:00
  6. Igor Moraes disse:

    Os temas de CSI, que são famosas canções so The Who, sem dúvidas são os mais rock’n roll entre os seriados atuais.
    Adoro temas de tv, em geral. Desde os mais antigos aos mais novos. E quando é o tema é um rock, nem precisa dizer…

    13 de julho de 2010 às 20:05
  7. Patricia disse:

    Senti falta de Snow Patrol… que já emplacou música em muitas séries, principalmente em Grey’s Anatomy!

    No mais, pode-se dizer que o Jace Everett não entrou porque o estilo dele não é rock, e sim country, como tem no site oficial dele.

    14 de julho de 2010 às 12:26
    • Lucas Soares disse:

      @Patricia, até onde eu tenho conhecimento Snow Patrol não está em nenhuma abertura de séries (e se eu estiver errado, me corrijam!).

      Porém, claro, não só eles, como diversas outras bandas de rock, eles fazem sim parte da trilha sonora de vários seriados.

      Jace Everett é um rock mais alternativo, mais ligado ao country, mas é sim uma vertente do rock!

      =)

      14 de julho de 2010 às 14:38
      • Patricia disse:

        Ops.. não vi que era só sobre as músicas da abertura, por isso falei do Snow Patrol…

        E quanto ao Everett… só coloquei ele mais pro lado do country porque as outras músicas do cd que tem Bad Things são muito puxadas mais para o country do que pra um rock alternativo!

        E o especial tá excelente, parabéns!

        14 de julho de 2010 às 15:57
  8. Yasmin disse:

    E Friends?
    Pensando bem, será que I’ll Be There For You do The Rembrandts é considerada rock?

    Ah, eu até acho…

    13 de julho de 2011 às 21:00