The Good Wife – 3×15 Live From Damascus

Por: em 26 de fevereiro de 2012
Colunas:
Séries: The Good Wife

Os melhores episódios de The Good Wife (peralá, tem algum episódio ruim? =P) são os que envolvem política – a série é sutil ao fazer críticas ao governo, não só ao governo americano, e à hipocrisia de alguns países por usarem a política “os fins justificam os meios”. Então, como superar o incrível episódio passado – cuja review foi feita pela minha colega Bruna – senão trazendo à discussão invasão de privacidade e tortura de manifestantes na Síria?

Após a vitória de Lockhart/Gardner, que era bem provável, eu fiquei pensando o que restava para esta temporada já que ainda estamos no meio do caminho. Muito embora este não seja o principal plot da temporada, era o mais importante e significativo, e claro, não poderia ser levado por muito mais tempo. Eis que a série, então, toma uma atitude que, confesso, não esperava; nem levei a sério a ameaça de Wendy Scott-Car e quase não acreditei quando Will aceitou os seis meses de suspensão sem lutar. Parecia que ele queria ser punido, que queria sair dali.

E essa saída abre uma nova perspectiva para o escritório, já imagino como vai ser a Diane comandando aquilo tudo e já estou preocupada. Escrevam aí: o retorno de Will não vai ser fácil, Diane não vai facilitar as coisas e sinto que o poder vai subir a cabeça dela e que Alicia vai ser jogada no meio da briga, ficando dividida entre: a gratidão a Will que lhe deu um emprego quando ninguém mais deu, e a oportunidade de crescer na firma. Não estou negando a amizade de Diane e Will, de modo algum, mas temos exemplos suficientes de que quando se trata de negócios, isso fez pouca diferença pra eles.

E vamos combinar, vai ser uma pena perder Will dando aquele show o tribunal como foi neste episódio. Nenhum advogado consegue conciliar a emoção e a razão tão bem quanto ele numa defesa.  Seu maior talento é se envolver com cada caso sem perder o foco (pelo menos na maioria das vezes.). Por isso ganharam mais uma vez. Quem melhor do que ele pra defender manifestantes e, ainda, encontrar a irmã de um deles feita refém na Síria?

Amei o caso, como sempre, né? Fiquei um pouco distraída com a participação do lindo do Jonathan Groff, mas isso é um detalhe. Tudo me emocionou, os depoimentos, a defesa de Will, Jimmy encontrando sua irmã e o contato de Kalinda tentando ajudar e, infelizmente, se tornando efeito colateral.

Mas não só disso foi Live From Damascus. Teve Eli, Stacey e a ex-mulher dele cujo nome eu não decorei. Só eu, ou mais alguém tem pavor da Stacey? Nem é pavor, é pânico mesmo, especialmente quando ela canta descaradamente Eli. E eu até gostei da ex-mulher de Eli quando ela apareceu pela primeira vez, mas essa história da campanha…sei não, quando vazar que ela dormiu com alguém da família Bin Laden, vai respingar de alguma forma em Eli e, consequentemente, em Peter, mas isso sou eu divagando.

Falando em Peter, os ânimos no escritório não são os dos melhores. A única coisa que faltou foi a Dana ouvir umas verdades, ela ainda teve a cara de pau de falar que fez o que fez porque Wendy pediu, não é nem mulher de assumir os próprios atos, alguém tinha que colocá-la no lugar dela.

Well, what’s next? Eu não faço idéia, mas não vejo a hora de descobrir. Novo episódio só dia 04. Até lá!

P.S: A Caitlin é uma incógnita pra mim. Eu espero uma trama legal pra ela, tipo pra ontem, porque ela está me incomodando com a sua cara de paisagem.

P.S.2: O que foi o Juiz chorando no meio do depoimento? Rá, hilário.

P.S. 3: Pessoal, quero pedir desculpas pelo atraso da review. Semana passada a Bruna fez o grande favor de me substituir e esta semana a resenha demorou pra sair porque eu ando ainda mais multi-atarefada do que já sou. Alguns planos se desenvolveram de uma maneira inesperada e eu to me desdobrando pra acompanhar e escrever sobre as séries. Mas espero conseguir conciliar e não deixar vocês na mão. Abraço!

Deixe seu comentário

9 comentários, seja o próximo.

  1. Chayanne disse:

    Também amei, como sempre, o episódio. Pra mim The Good Wife é a melhor série da atualidade, pois tudo é bem feito, todas as histórias, ou plots, são interessantes, e ainda vemos casos que de alguma forma se conectam com a realidade. Os personagens então nem se fala! Quando eu vi a ameaça da Wendy no último episódio imaginei que isso fosse pra valer porque em TGW nada é dito por acaso. Agora, o que vem depois dessa suspensão de Will não faço a menor idéia… Mas uma coisa eu tenho certeza: não vou me decepcionar!

    26 de fevereiro de 2012 às 17:49
  2. Caroline® disse:

    Tô em choque!!!! Will fora da firma? Lockhart sem Gardner? Isso abre um caminho totalmente inesperado pra série. Prevejo uma luta sangrenta dentro da empresa, principalmente entre David Lee, Julius e Eli (ele também é sócio). E Alicia pode se envolver na confusão também. Quem sabe não veremos uma “Lockhart & Florrick”?

    26 de fevereiro de 2012 às 20:51
  3. Priscila Darley disse:

    Querida Lara o nome da ex-mulher do Eli é Vanessa Gold amo a atriz que faz ela mas essa história de campanha tá me enchendo mesmo!!!!!!!!
    A série está mesmo eletrizante!!!!!!!!!! Eu tinha certeza que a Wendy iria fazer aquilo mesmo era certeza absoluta, ainda falei isso para quem assiste comigo a série.
    Ela iria fazer isso para atingir Peter e era certeza absoluta minha!

    26 de fevereiro de 2012 às 23:40
  4. priscila disse:

    Realmente surpreendeu o episódio, porque tirar um dos personagens principais pode dar certo com uma nova abordagem como pode ser um tiro no pé, mas acho que com isso eles queriam era dar mais destaque a uma possível aliança alicia e diane, vamos ver o que resulta disso….mas curiosa mesmo fiquei com o dossie kalinda que foi parar na mão de alicia….quais problemas ela teve no passado? o que alicia poderá fazer com essa informação? acho que os proximos episódios nos mostrarão….

    27 de fevereiro de 2012 às 21:17
  5. Rodney disse:

    Oi Lara, apenas umas considerações: achei muito fraca a participação da Alicia. Ficou sobrando. Sobre a punição do Will, ficou claro que a Diane botou a mão no meio. E achei meio maquiavélico. Acho que ela tinha a intenção de afastar o Will e fazer perder força no escritório.

    Tb tava muito esquisita a relação do Will com a Alicia. Os dois se amavam, se pegavam, se fantasiavam e de repente, nada mais? acho q foi a solução dos roteiristas para essa encrenca.

    Sobre a Procuradoria, algo vai acontecer lá. O Carrie está preparando alguma ainda e a trama deve caminhar nessa direção.

    Mas como passarão esses 6 meses? será que vão acelerar o tempo ou será que o Will (o ator) tirará férias mesmo da série?

    Parabens pelo reviews.

    1 de março de 2012 às 18:26
    • Lara Lima disse:

      Oi Rodney,

      Olha, todo mundo se pergunta isso, né? Como a série vai fazer durante esses seis meses. Eu penso que a participação do Will vai ser de encaminhar clientes pra Diane e pra firma. Não acho que ele vá se afastar ou que vão acelerar o tempo. Pelo menos não agora.

      E eu também acho estranho, pra dizer o mínimo, essa relação da Alicia com Will. Até porque nada foi dito entre eles. Simplesmente resolveram se afastar por qualquer motivo louco que a Alicia achou pra justificar e ficou por isso mesmo. Mas eu cansei de esperar alguma coisa deste casal.

      Obrigada, fico feliz que vc curtiu o texto! =D

      1 de março de 2012 às 22:45
  6. Rodolfo disse:

    Episódio que mostra o quanto o roteiro de The Good Wife é super planejado. Will se safou frente ao grande juri, mas mesmo assim sofreu as consequências de seu erro do passado. Nada acontece por acaso nessa série.

    Eu só preciso de 10 minutos de TGW pra lembrar o por que desta ser a melhor série atual.

    3 de março de 2012 às 13:20
  7. daniela disse:

    Bom na verdade, achei q o episodio podia ter focado mais no Will e no esporro da Dana!
    SPOirles bom no episodio do dia 4 as irmas do Will vão visita-lo, kalinda tbm e ouvir que Tammy pode voltar. E nao acredito q Diane traia Will ela ja mostrou no ep. 12 q nao deixaria Will na mão.

    3 de março de 2012 às 16:40